segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

o paquistão também tem o seu gaspar

Pakistan considers taxing Nato Afghanistan trucks

Pakistan is considering charging millions of dollars in annual taxes on Nato trucks and fuel tankers, officials have told the BBC.

The vehicles pass through Pakistan on their way to Afghanistan.

The charges might include taxes on fuel in addition to port and storage fees, they said.

The supply route is a lifeline for Nato troops but Pakistan closed it last month after 24 of its soldiers were killed in a Nato air strike.

Thousands of tankers are now stranded.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

a bem da união

Como cidadão europeu, deixo um apelo aos mercados: se vou andar a ser comandado por uma senhora do Norte da Europa com um chicote, posso ao menos escolher a primeira-ministra da Dinamarca?


Nem o velho Silvio ficou indiferente...

a crise como oportunidade

Para aqueles de vós que ainda andam a tentar perceber quais os limites da vossa zona de conforto, eis o guião da fita a que assistiremos num futuro próximo, sem tugir nem mugir, como é luso apanágio.

Começamos com a total subversão das regras democráticas na União Europeia, por imposição dos mercados que nunca nos foram apresentados.

Grupo de Frankfurt, o esquadrão de intervenção da Europa

A antiga Ópera de Frankfurt – em tempos, a mais bela ruína do pós-guerra da Alemanha e agora a sua recriação mais impressionante – tornou-se um símbolo do renascimento europeu. Foi aí que, no mês passado, Angela Merkel e Nicolas Sarkozy se reuniram com a elite burocrática da União Europeia, no que seria, noutros tempos, descrito como um golpe palaciano.

Fartaram-se de cimeiras da zona euro, com líderes vindos daqui e dali, para não chegarem a lado nenhum. Queriam formar um grupo mais pequeno, que exercesse o poder com firmeza, mas informalmente. Nessa noite, quando se reuniram para ouvir Claudio Abbado dirigir a Orquestra Mozart de Bolonha, nasceu um novo esquadrão de intervenção da UE.

(...) Quando Merkel falou, admitiu frustração em relação às cimeiras europeias e aos seus complexos mecanismos democráticos. "A capacidade de intervenção e de margem de manobra da UE revelou-se lenta e complicada", queixou-se. "Se queremos aproveitar a crise como uma oportunidade, temos de estar preparados para agir mais depressa e até de formas não convencionais." Sarkozy chegou atrasado, mas a tempo de participar no concerto da década.

Também presentes estavam o novo presidente do BCE, Mario Draghi, um italiano com pouca estima por Berlusconi. E Christine Lagarde, a nova presidente (francesa) do Fundo Monetário Internacional, que tem comandado as operações de recuperação de países em aflição e que não se coíbe de impor condições humilhantes (como fez com Berlusconi).

Estava José Manuel Durão Barroso, o cada vez mais aniquilador presidente da Comissão Europeia e o seu parceiro para as questões económicas Olli Rehn. O omnipresente Jean-Claude Juncker, primeiro-ministro do Luxemburgo e chefe do grupo das 17 nações da zona euro, apareceu com Herman Van Rompuy, eleito presidente da UE por não ter opiniões sobre nada.

(...) A democracia é vista com desconfiança – até mesmo aversão – pelo Grupo de Frankfurt, tal como pelos mercados. Os pontos de vista pessoais de Juncker sobre os irritantes eleitores ficaram famosos, desde que expressou o problema da governação da seguinte forma: "Todos sabemos o que fazer, mas não sabemos como ser re-eleitos depois de o termos feito”.

Estamos agora a ver uma solução para o problema de Juncker: nomeiam-se vários dirigentes que, logo à partida, não foram eleitos e que não vão andar à procura de votos para nenhuma re-eleição – e põem-nos a fazer o que se pretendia.

Nada neste cenário é perturbador para a maioria dos democratas. Aliás, quem é capaz de imaginar qualquer tipo de problema que possa surgir quando a Alemanha decide subtrair soberania a Estados vizinhos? Não, tudo a bem da Europa dos mercados, nada contra a Europa dos mercados.

Ultrapassada a barreira democrática e traçado o plano de acção, falta conhecer os salvadores das Pátrias que nos pariram. Pesos-pesados capazes de combater a crise.

Goldman Sachs, o banco que nos quer bem

(...) Os seus críticos acusam esta rede de influências europeia tecida pelo banco norte-americano Goldman Sachs (GS) de funcionar como uma loja maçónica. Em graus diferentes, o novo presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, o presidente designado do Conselho italiano, Mario Monti, e o novo primeiro-ministro grego, Lucas Papademos, são figuras totémicas das malhas apertadas dessa rede.

(...) O primeiro foi vice-presidente do Goldman Sachs International para a Europa, entre 2002 e 2005. Era o "associado" que tinha a seu cargo o departamento de "empresas e países soberanos", o mesmo que, pouco antes da sua chegada, tinha ajudado a Grécia a camuflar as suas contas, graças ao produto financeiro "swap" sobre a dívida soberana.

O segundo foi conselheiro internacional do Goldman Sachs, de 2005 até à sua nomeação para a chefia do Governo italiano. De acordo com o banco, a sua missão era dar pareceres "sobre os assuntos europeus e os grandes dossiês de políticas públicas mundiais". Mario Monti foi um homem que "abriu portas", um homem cuja tarefa consistia em penetrar no centro do poder europeu para defender os interesses do GS.

O terceiro, Lucas Papademos, foi governador do Banco Central grego entre 1994 e 2002. Nessas funções, desempenhou um papel não esclarecido na operação de camuflagem das contas públicas levada a cabo com a ajuda do Goldman Sachs. Além disso, o responsável pela gestão da dívida grega é Petros Christodoulos, antigo corretor do banco norte-americano em Londres.

Quem melhor para nos tirar da crise que os indivíduos que melhor a conhecem, por lhe estarem na génese? Mas alguém vê um conflito de interesses aqui? Decerto que não, aliás, o currículo de cada um será incensado por forma a constituir um garante de credibilidade e estabilidade junto dos mercados.

Problema deles? Pois. Nós ainda temos tempo. Mas não muito. Enquanto os amigos do Gaspar vão lavrando caminho, vai ficando cada vez mais claro que não durarão muito no seu poleiro. A receita leva ao desastre, e todos o admitem mais cedo ou mais tarde. Chegando o desastre, os amigos do Gaspar serão apeados, haverá um discurso catastrofista, seguir-se-á uma coligação de Salvação Nacional em que participarão os ex-amigos-agora-apenas-vagamente-conhecidos do Gaspar mais os invertebrados do PS (o P é de partido e o S ficou na gaveta) e a parte mais sumarenta disto tudo é... QUEM SERÁ O ESCOLHIDO?

Procura-se um gajo do partido com maioria no Parlamento, indigitado sem ser eleito (que isso de eleições já não se usa), com currículo, de preferência na Goldman Sachs, que ponha um semblante pesaroso e se encarregue de levar toda a colheita e ainda deite sal na terra para que nada mais lá volte a crescer. E parece que há um que ficou subitamente disponível.

...

Camarada, amigo, palhaço deste circo que é a vida: se chegaste até aqui, parabéns, deves ter sido o único e provavelmente já estavas convencido. Mas enfim, com muita dranguilidade te relembro...

HÁ ALTERNATIVA!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

chamam-lhe a única democracia no médio oriente

Palestinian 'freedom riders' board settlers' bus

Israeli police have detained six Palestinians dubbed West Bank Freedom Riders who boarded a Jerusalem-bound bus used by Jewish settlers.

The activists say they drew inspiration from 1960s US civil rights demonstrators who campaigned under the same name against segregated buses.

Palestinians from the West Bank are not allowed to cross into Jerusalem without Israeli permission.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

um cientista é um gajo que arranja desculpas fantásticas para construir brinquedos novos

Single-molecule 'electric car' taken for test drive

Scientists have shown off what can be described as the world's smallest electric car - made of a single, carefully designed molecule.

The molecule has four branches that act as wheels, rotating when a tiny metal tip applied a small current to them.

With 10 electric bursts, the car was made to move six billionths of a metre.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

lição de economia

Fiquei pasmado. Recomendo.

como filtrar notícias da secção de política

Lisboa: Modesto Navarro (PCP) e António Costa envolvem-se em discussão

O título sugere que o que se passou não foi debate político.

Lisboa, 25 out (Lusa) - O líder de bancada do PCP na asembleia municipal de Lisboa acusou hoje o Executivo socialista de falta de ética na contratação de dois serviços de cerca de 65 mil euros, uma acusação que António Costa considerou "um insulto".

Falta de ética passa a ser considerado um insulto.

Na intervenção no debate do estado do município, Modesto Navarro afirmou que "já não há vergonha nem ética que valham nesta maioria do PS", no seguimento da contratação, por cerca de 24 mil euros, de um ex-diretor de recursos humanos para serviços de assessoria durante 219 dias e a "encomenda" de um estudo sobre competitividade, a realizar em 30 dias, por cerca de 42 mil euros.

Percebe-se finalmente donde vem a acusação de falta de ética.

Respondendo ao deputado comunista, o presidente da Câmara, António Costa, disse que "a democracia não ganha com o insulto, não ganha por falta de elevação do debate democrático, mas sim com a liberdade da troca de ideias: Quem tem ideias não precisa de insultos".

Apesar do uso do termo "respondendo", António Costa não responde realmente ao caso, que gira em torno de despesa dificilmente justificável. Não. António Costa sente-se ofendido, o próprio jornalista condiciona a peça para que seja essa a impressão do leitor, e sobra uma tirada gratuita sobre a elevação do debate político numa ocasião em que Costa se furta ao debate político sobre as tais despesas.

Agora experimentem ler de novo, sem as ajudas, a ver o que salta mais à vista. E de caminho, leiam mais notícias. Mais jornais. Mais blogues. Leiam, foda-se, e pode ser que percebam realmente em que crise vivemos.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

então havia de estar onde? no caralho?

Estudo mostra que ser optimista está no cérebro

Mesmo perante a forte possibilidade de vários cenários negativos se concretizarem, há muitas pessoas que conseguem encará-los com optimismo e desafiar a lei das probabilidades. Um estudo que acaba de ser publicado Nature Neuroscience veio mostrar que a explicação para este comportamento está no cérebro.

Quando eu for grande também quero meter-me nas neurociências. Ou no jornalismo medíocre.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

o Simões está de volta

Arremesso de anões poderá voltar ao estado da Florida

A prática de arremesso de anões foi popular no estado americano da Florida até 1989, ano em que passou a ser proibida. Mas um político republicano quer agora reverter essa decisão e trazer de volta um espectáculo que consiste em pegar em anões e arremessá-los contra uma superfície que lhes ampare a queda.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

reflexões em cascata

Deixai-me sair do meu torpor velocipédico e partilhar algo que escrevi há uns tempos, com ligeiras adaptações. Consigo identificar pelo menos três razões para publicar isto, de todo, e sobretudo hoje. Ou acredito que sim, pode ser impressão minha. Cá vai:

Adoro conduzir. É algo muito útil na vida duma pessoa, mas para mim é também um prazer, desde que bem feito.
O carro que costumo conduzir é provavelmente o carro mais fixe alguma vez criado. Carro pequeno com motor pequeno, o que faz com que tudo funcione à escala. A máquina puxa-se a si própria e outro tanto de carga. Leva tempo a acelerar, mas aguenta velocidade cruzeiro que é uma maravilha, e a gastar pouco combustível.
Toda a gente admira o carro, com mais ou menos entusiasmo. Todos têm curiosidade em experimentar, mas poucos compreendem o que é preciso para fazer dele um modo de vida.
Volta e meia até o levo para a auto-estrada, mas não faz sentido. O carro foi feito para percorrer estradas nacionais e municipais, sinuosas e esburacadas, de capota aberta e cotovelo janela fora.
Neste caso, o carro determina o modo de vida. A maior parte das pessoas prefere usar um carro rápido, seguro e confortável para circular na auto-estrada, permitindo chegar a um qualquer destino longínquo e bem definido, o mais rapidamente possível.
Eu prefiro fazer-me à estrada de janela aberta, a rapar frio, sem pressas. Para mim, importa mais a viagem. Não quero ter um destino.


- original redigido em Wysokie Mazowieckie (PL) em 8 de Agosto de 2011, quando um ciclista me desafiou para simplesmente escrever algo; adaptado para publicação

terça-feira, 16 de agosto de 2011

telegrama do báltico

Diz que me estou a tornar famoso. Até tremo só de pensar.

Jovens pedalam contra barreiras à mobilidade

Mais desenvolvimentos aqui, com um certo atraso porque ainda não encontrei uma secretária.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Ride for your Rights!

Aluno da UA percorre a Europa de Leste em prol da mobilidade de estudantes
Tiago Simões, aluno da UA e membro do Campus Europae Student, e alguns estudantes de todas as universidades desta rede, embarcaram numa viagem de bicicleta pela Europa de Leste com o único propósito: «chamar a atenção dos decisores políticos e de todas as entidades ligadas ao Ensino Superior para os problemas que os estudantes de mobilidade actualmente enfrentam, incluindo as barreiras burocráticas». São 12 países, milhares de quilómetros, algumas fronteiras para explorar, e expor todos os argumentos para melhorar a mobilidade de estudantes pela Europa.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

reality don't matter, boy!

EUA: Comissão da Câmara de Representantes aprovou diploma para negar vistos a eventuais terroristas

Washington, 24 jun (Lusa) -- A Comissão Judicial da Câmara de Representantes dos Estados Unidos aprovou na quinta-feira uma medida que pretende evitar que eventuais terroristas consigam obter vistos para a entrada no país.

Com 17 votos a favor e 11 contra, a Comissão aprovou a chamada "Lei de Vistos Seguros", apresentada em maio pelo deputado republicano Lamar Smith, que alegou o caso de Abdul Farouk Abdulmutallab, que tentou colocar uma bomba num avião em Detroit em 2009 e tinha entrado legalmente nos Estados Unidos, não tendo depois o seu visto sido revogado.

Esta peça já está pejada de contradições, mas porquê parar por aqui?

FBI deteve dois homens suspeitos de preparar ataques nos EUA

Dois suspeitos militantes jihadistas de nacionalidade norte-americana foram detidos em Seattle, ontem à tarde, numa operação do FBI, quando preparavam planos para atacar um centro de recrutamento militar nos Estados Unidos.

Identificados pelas autoridades como Joseph Davis, oriundo de Los Angeles, e Frederick Dominique, de Seattle – mas também conhecidos como Abu Khalid Abdul-Latif e Walli Mujahid, respectivamente, após a sua conversão ao Islão – os dois suspeitos estão a ser investigados por conspiração para assassinar funcionários públicos, conspiração para uso de armas de destruição maciça e conspiração para posse ilícita de armas.

terça-feira, 21 de junho de 2011

democracia entretanto

PSP impede jornalistas de fotografar e filmar no passeio do Tribunal de Pequena Instância de Lisboa

Dois agentes da PSP comunicaram aos jornalistas que se encontram a cobrir a sentença que não podem tirar fotografias nem filmar no passeio público junto ao tribunal, no Campus da Justiça, justificando que se são ordens do comandante da 2.ª Divisão, subcomissário Pratas.

Contudo, nas duas últimas sessões não houve restrições no local, tendo mesmo sido permitida uma pequena manifestação dos activistas do movimento.

Absolvidos os dois activistas do movimento Democracia Já detidos no Rossio

Ricardo Salta foi absolvido do crime de resistência e coação sobre funcionário (agentes da PSP) e Tiago Castelhado de injúrias agravadas.

No caso deste arguido, o tribunal disse ter ficado com dúvidas, face às versões contraditórias apresentadas em julgamento, tendo determinado a sua absolvição.

O julgamento sofreu um volte-face quando uma magistrada, ouvida em tribunal na qualidade de testemunha, arrasou a actuação policial, revelando, entre outros factos, ter sido ela própria agredida por um dos polícias, que lhe apertou o pescoço.

Isto tudo no bom caminho... Não se passa nada...

sexta-feira, 17 de junho de 2011

planos para o fim-de-semana

Leiria: Câmara aprova proposta para levar estádio municipal a hasta pública por 63 milhões de euros

O jackpot do Euromilhões para amanhã é de 91 milhões. Alguém me dá o orçamento duma demolição por implosão? Gostava de bater a CMAveiro em velocidade...

Agora só precisamos de ideias para a última festa no estádio!

PS: o Bartolomeu não está convidado.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

a recusa da aprendizagem

Vitalino Canas apoiará candidato à liderança que recuse ruptura com os governos de Sócrates

O dirigente socialista Vitalino Canas afirmou hoje que apoiará o candidato à liderança do PS que recuse fazer um discurso de ruptura face à experiência governativa dos executivos de José Sócrates e que reúna a melhor equipa.

No PS simplesmente desistiram de pensar pela sua própria cabeça, e sentem-se ofendidos quando alguém discorda. O PS transformou-se no Benfica e o camarada Vitalino é o Sílvio Cervan da agremiação. Não se discute política e inclusivamente recusa-se tomar posição de acordo com os príncípios do partido, no caso de a iniciativa partir de outros. Transformaram isto num jogo imbecil e dizem que têm muita pena. A travessia do deserto vai ser penosa.

Entretanto, com o Bloco devolvido à sua condição habitual, vai caber ao PCP renovar a sua mensagem, que claramente ainda não consegue passar de forma convincente. Não basta galvanizar os já convencidos, é preciso chegar a maior audiência e comunicar convenientemente às pessoas o que está realmente em jogo.

Vêm aí uns tempos de merda, e vai ser interessante ouvir a malta a queixar-se depois de ter votado na sua própria desgraça. Ainda falta muita pedagogia por estas bandas. Mas enfim, há que erguer a cabeça e continuar a lutar. Agora não há desculpas.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

público ao nível d'o crime

Eslovénia diz “não” ao adiamento da idade da reforma, Governo responde com medidas de austeridade

(...) A Eslovénia foi, dos países da antiga União Soviética que em 2004 aderiram à União Europeia, um dos afectados pela crise financeira. O seu Produto Interno Bruto caiu em termos reais mais de dez por cento entre 2008 e 2009. A dívida pública engrossou desde daí e, para o próximo ano, o FMI prevê mesmo uma duplicação face ao valor que a Eslovénia apresentava em 2007, ano em que aderiu à zona euro – para 44,9 por cento do PIB.

A Eslovénia na União Soviética?

Foda-se, é muita ignorância junta.

A Eslovénia fazia parte da Jugoslávia. A Jugoslávia de Tito. O mesmo Tito que mandou Stalin às malvas e formou o Movimento dos Não-Alinhados, conjunto de nações que recusavam integrar as esferas de influência dos Estados Unidos e da União Soviética.

A wikipedia pode não ser a fonte mais fiável ao dispor dum escriba de pasquim, mas porra, nestas coisas não falha!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

e gozam com o futre?!

Filipe Vieira apela a uma investigação a Benfica e FC Porto

Presidente dos “encarnados” foi nesta segunda-feira à TVI pedir que a Polícia Judiciária crie um departamento próprio para investigar as transferências dos últimos dez anos de Benfica e FC Porto.

Do departamento do jogador chinês ao departamento dos negócios da China.
À semelhança do sucedido nas primeiras transmissões do Último a Sair, o público vai ficar muito aliviado quando vier a descobrir, daqui por uns anitos, que esta merda era toda uma sequência de sketches ultra-realistas (excepto pelo bigode e as orelhas, acho que se esticaram um bocado na caracterização).

quarta-feira, 25 de maio de 2011

monumentais

Já assisti a desfiles em Coimbra, já vi em que estado fica a cidade durante a Queima e a Latada.

Tenho alguma dificuldade em compreender quem agora denuncia o "vandalismo" nas Monumentais.
Aviso à navegação: aquilo é um mural em espaço público, não danifica o suporte (sai com água, basicamente) e acima de tudo não é a primeira vez, nem sequer a segunda.

Vou tentar encontrar umas fotos de escadarias pintadas em Leiria, com o velho símbolo do PS, só para testar as reacções...

terça-feira, 24 de maio de 2011

a propósito do rossio e da puerta del sol

Corria o ano da graça de 2002, e este vosso criado tinha acabado de chegar à UA. O país estava, alegadamente, de tanga. Isto foi-nos dito por um senhor que entretanto foi de erasmus, ou assim. Ora, a coberto do discurso da tanga, o país foi sendo pilhado, em prejuízo de muitos sectores chave, incluindo o Ensino Superior. Há quase nove anos atrás, esta foi a resposta:

«De tenda contra a tanga»

Os estudantes da Universidade de Aveiro acamparam, esta noite, junto às residências universitárias, para contestar contra o Orçamento para o Ensino Superior. Os protestos simbólicos vão durar toda a semana.

A semana da «tanga» começa hoje. Até sexta-feira a Associação Académica da Universidade de Aveiro protesta contra o Orçamento para o Ensino Superior. Os alunos contestam o facto do estabelecimento de ensino receber este ano menos 2, 7 milhões de contos.

Sim, contos! Quão vintage, n'est-ce pas?

Este corte orçamental vinha numa altura em que a UA apresentava resultados de gestão bastantes aceitáveis, e em que o dito cherne senhor que foi de erasmus apregoava as virtudes da boa gestão. Dando a volta ao prego, se é bem gerido pode bem passar com menos dinheiro, que é preciso injectar nos sítios mal geridos.

ALUNOS E PROFESSORES CONTRA CORTES NO ENSINO

(...) Aveiro também foi palco de protestos, com os estudantes a cumprirem o quarto dia de luta, no âmbito de uma iniciativa a que chamaram a “semana da tanga”.

Ontem, juntaram-se frente à reitoria da universidade para um “piquenique social” onde contestaram o aumento do preço das refeições de 1,60 para 1,75 euros. Os que compareceram, serviram-se de uma ementa tão magra como o orçamento previsto para a instituição e composta por caldo verde, febras grelhadas e muita cerveja para acompanhar. Na reunião geral de alunos ficou decidido fazer um boicote às aulas no dia 13 de Novembro.

Neste caso particular, é de realçar que a cerveja não era assim tanta, com grande pena minha, e nunca mais me apanham a servir bifanas durante duas horas seguidas.

Resumindo:
- houve acampada na UA em finais de 2002;
- o facebook foi fundado em 2004;
- o FMI está na Islândia desde 2008;
- ninguém aprendeu nada até 2011.

onde a democracia realmente falha

A comunicação social é apelidada de "quarto poder" em democracias consolidadas, pelo seu papel de vigilância da coisa pública. O trabalho de investigação de bons jornalistas ajuda a destapar a careca a muitos que se aproveita do Estado. O exemplo máximo será sempre Watergate, pela mística gerada, mas abundam os exemplos.

O problema aqui no rectângulo é que a comunicação social é simplesmente uma merda. Deturpam e omitem elementos de relevo, fazem coberturas completamente acéfalas da cena política e depois declaram que a campanha é pobre e falha de ideias. Isto sem nunca se darem ao trabalho de perceber que ideias eram essas, muito menos de as noticiarem e compararem - como se esperaria dos "guardiães da democracia".

Devo recomendar também estas leituras, por José Mendonça da Cruz no Corta-fitas (sim, vejam lá o que eu já ando a citar):

Televisões - a vaidade dos idiotas
Televisões - a presunção dos idiotas
Televisões - a contumácia dos idiotas

Lembrem-se: lá porque viram na TV, não quer dizer que seja verdade.

domingo, 22 de maio de 2011

loucos, dementes, inimputáveis

Eleições: Assis pediu aos portugueses para não se deixarem enganar com a "cantilena" de que o país está pior

(...) Falando em Vila do Conde, num jantar que reuniu mais de um milhar de militantes socialistas, Assis reforçou que "a despesa e o défice têm diminuído" fruto de "decisões difíceis (do seu partido), mas imprescindíveis".

Recessão este ano, recessão no próximo ano, brutal aumento de impostos, desemprego recorde e défice recorde.

Estas pessoas estão completamente dissociadas da realidade. E a "alternativa" que ombreiam nas sondagens é constituída por lúcidos necrófagos. Votem na mesma merda e depois queixem-se!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

leitura MUITO recomendada

Em política não há decisões inevitáveis
por Tiago Mota Saraiva, convidado no Delito de Opinião

(...) Quanto mais tempo deixarmos que a acção política se resuma a uma gestão de inevitabilidades, mais estaremos a contribuir para que o país se afunde. Para se perceber o estado em que ficará o país com um futuro governo PS/PSD/CDS não é preciso ir muito longe. Basta olhar para o estado da Grécia ou da Irlanda, em que as políticas têm sido muito semelhantes. Não é difícil de prever que, com a tríade do costume, dentro de um ano, estaremos a renegociar a dívida e o resgate e serão anunciados mais cortes e impostos. (...)

a visão do bloco central

Blocos operatórios de quatro hospitais de Lisboa "obrigados" a fechar para refeições

(...) Segundo os sindicalistas, há vários anos que os médicos anestesistas cumprem horários desfasados para garantir o funcionamento integral dos blocos operatórios de forma ininterrupta entre as 08h00 e as 20h00.

Assim, enquanto alguns profissionais entravam às 08h00 para serem substituídos às 15h00, outros trabalhavam entre as 14h00 e as 20h00, em jornada contínua.

“Os gestores descobriram que seria necessário que este sistema não se efectuasse em ‘jornada contínua’ e seria imperioso cumprir interrupções de pelo menos uma hora para as refeições”, refere a nota.

Durante muito tempo fomos ouvindo falar da racionalização de custos, da bondade da gestão profissional da saúde (e no ensino encontra-se muita coisa deste género), mas francamente nunca uma pessoa formada em Gestão vai perceber NADA daquilo que é chamada a gerir.

Nesta terra só se formam chefes. Não há líderes, há chefes. Pessoas que mandam. Não sabem fazer, então mandam. O resultado está à vista.

Hoje temos uma carga fiscal selvagem, pagamos em dobro por serviços consagrados na Constituição como gratuitos ou tendencialmente gratuitos, e continuam a dizer-nos que o futuro passa por cortar mais e mais e mais. Entretanto ainda nenhum destes gestores foi coberto de alcatrão e penas. Aliás, a maior parte destas tristes figuras resultam da colonização do Estado pelo bóis.

Dia 5 de Junho, não se esqueçam de votar em mais 4 anos disto...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

para animar a malta

Imprensa espanhola aponta Canella ao Benfica

Piada demasiado óbvia. Espero que se confirme.

como o ps defende portugal em technical engrish

Memorando da Troika – Em Português

Carta do Governo para a Troika – Em Português

Depois do representante de vendas da JP Sá Couto ter vindo a terreiro dar boas notícias (inacreditável, numa altura destas), começou uma barragem de fogo destinada a reduzir a pré-campanha a um nível capaz de duplicar a abstenção.

Entretanto, no Aventar decidiram fazer serviço público e traduzir os documentos que realmente constituem o programa de governo da claque do representante de vendas da JP Sá Couto.

No Adeus Lenine é feita uma pequena comparação entre estes documentos em technical engrish e o programa que a claque do representante de vendas da JP Sá Couto apresenta aos eleitores.

Depois não digam que não sabiam. Aliás, eu vou andar a distribuir murros na cabeça a quem me disser que não sabia. Até nas Novas Oportunidades é preciso saber ler.

terça-feira, 17 de maio de 2011

como um castelo de cartas

Premissa: Strauss-Kahn na mesma prisão que Renato Seabra

Vendaval de gargalhadas:


laranja e azul

Só para relembrar os meus amigos portistas que eventualmente votem PSD: Catroga era ministro das Finanças de Cavaco aquando da penhora da retrete nas Antas.

domingo, 15 de maio de 2011

sócrates enaltece emancipação sexual da empregada

Presidente do FMI detido em Nova Iorque por ataque sexual

O Presidente do Fundo Monetário Internacional, o francês Dominique Strauss-Kahn, foi detido em Nova Iorque acusado de abuso sexual sobre uma empregada de um hotel em Nova Iorque, revela a agência Reuters, citando o jornal “New York Times”.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

escumalha da terra

Proposed Portuguese copyright law will make CC licenses illegal?

Portugal's Socialist Party have vowed to table a new copyright law that is apparently designed to make Creative Commons licenses illegal. It's being lobbied for by the Portuguese Society of Artists, who are said to support authors' rights unless they choose to exercise those rights by using CC licenses. It's not clear whether the bill inadvertently or deliberately sabotages CC licenses, but as drafted, it's certainly bad news for any creator in Portugal who wants to allow her works to be shared.

Só esta súcia de inimputáveis conseguiria proibir a renúncia a compensação!

quinta-feira, 12 de maio de 2011

como o ps defende portugal com unhas e dentes

Portagens nas Scut ruinosas para o Estado

Aliás, isto não é só defesa, é catenaccio.
O que mais me surpreende é haver quem ainda acredite que o PS é solução e que o chefe da pandilha é uma vítima. Não percebo. Tem o condão de validar a teoria do multiverso. Ou isso ou eu vou querer fumar aquilo que eles andam a fumar.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

como o ps defende portugal

Auto-estradas:Tribunal de Contas enganado

Os juízes do Tribunal de Contas queixam-se de ter sido induzidos em erro para aprovar cinco auto-estradas, no valor de dez mil milhões de euros. A denúncia consta de um relatório de auditoria às parcerias público-privadas rodoviárias, que vai ser aprovado na próxima semana.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

a falácia da privatização

Se uma empresa é cronicamente deficitária, ninguém a vai querer comprar.

Se alguém a quer comprar, é porque pode ser rentável.

Se não é rentável agora, então é mal gerida.

Se é mal gerida, castigue-se o mau gestor.

E, de caminho, quem o nomeou.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

terça-feira, 19 de abril de 2011

fernando nobre

Até parece que é candidato a primeiro-ministro, essa posição criada pelo circo mediático.

Aliás, até parece que é primeiro-ministro há 6 anos!

E que tal focarmo-nos no que realmente importa?!

não são "os mercados", é pilhagem mesmo

Juros da dívida mantêm escalada mesmo nos prazos mais curtos

A tendência de subida dos juros da dívida pública nos mercados secundários, batendo diariamente novos recordes, mantinha-se hoje de manhã, agora com as taxas nos prazos mais curtos já a rondar os dez por cento, na véspera de dois leilões do IGCP.

Se o Cavaco não ganhasse à primeira volta, os juros subiam. O Cavaco ganhou à primeira volta. Os juros subiram na mesma. É um exemplo, podemos encontrar muitos outros de há 2 anos para cá.

Os sacrossantos mercados, que o bloco central de pacotilha tenta apaziguar sacrificando as vidas de quem trabalha para sustentar a família, não passam de um conjunto de criminosos que manipula as regras do comércio para enriquecer à custa de quem nada tem a ver com o assunto.

Que faz a escumalha encarregue de gerir este burgo? Baixa a calça. Não a calça deles, mas a nossa. E tu, vais votar Sócrates ou Passos Coelho?

Mandadores de alta finança fazem tudo andar para trás
Dizem que o Mundo só anda tendo à frente um capataz


não é o fim, é o fmi

FMI quer flexibilizar horários e despedir nas Câmaras

Expurgar da Constituição as normas que obstaculizam à maior flexibilidade no mercado laboral deverá ser uma das imposições da "troika" que está a negociar a ajuda externa em Portugal. A idade da reforma pode subir para os 68 anos.

Aumentar idade da reforma: check!
Facilitar despedimentos: check!
Limitar subsídio de desemprego: check!
Correr com funcionários públicos: check!
Cortar subsídio de férias e de Natal: check!
Alterar a Constituição por imposição de tecnocratas: check!

IRC igual para bancos e PMEs: querias...

Quem vota PS ou PSD ou CDS, vota FMI.
Quem vota FMI quer um país com um desemprego vertiginoso, com precariedade, onde as pessoas não conseguem poupar e dificilmente põem comida na mesa dos filhos.
Quem vota FMI suspende a democracia por 10 anos (e gozavam com a outra senhora).
Quem vota FMI admite que os bancos mandam nos país e nas pessoas.
Quem vota FMI condena o país à pobreza.
Quem vota FMI não pode queixar-se e dar desculpas depois.
Quem vota FMI é responsável por isso.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

paira sobre o público o espectro de jmf

Reparem na diferença de títulos e verifiquem a semelhança de conteúdo:

BE convocado para reunião com a "troika" mas não vai comparecer

PCP recusou reunir-se com instituições internacionais

Esta marca de acendalhas, frequentemente apelidada de publicação de referência, vem fazendo enormes esforços para ignorar por completo a existência do PCP. Vítor Dias, no seu tempo das cerejas, denuncia mais uma flagrante tentativa de silenciamento.

Alas, a verdade é que o PCP (e não só) tem sucessivamente denunciado os termos da adesão à moeda única - que talvez sobreviva mas não sem antes Portugal ser atirado borda fora -, o conteúdo do Tratado de Lisboa - que obviamente não dotou a UE de mecanismos para ultrapassar uma crise destas -, assim como muitas outras facetas da construção europeia que nada tem de democrática. Foram consistentemente apelidados de dinossauros. Interessa então aos powers that be ocultar estas evidências e quem as denunciou, escamotear responsabilidades e seguir alegremente para o abismo.

O PCP tem propostas, mas raramente estas chegam ao conhecimento da população através da comunicação social. Apesar do trabalho de fundo, da sustentação técnica e política, da justeza e clareza dessas propostas, só se fala de Cuba e da Coreia do Norte.

O ruído levantado impede o juízo informado. Não me incomoda nada que as pessoas rejeitem os argumentos e as propostas, desde que o façam racionalmente. Mas incomoda-me que nem se dêem ao trabalho de saber quais os argumentos e quais as propostas.

E tu que (mal) lês estas palavras, embarcas no festival da TV e vais votar com os pés, botar a cruzinha no meta-engenheiro ou no meta-literato, incapaz de reconhecer que são ambos as nalgas do cu que te cobre de merda, és responsável pela miséria a que votas a tua família, os teus amigos, os teus vizinhos e um país inteiro.

A sério, pá. Tens até 5 de Junho para ganhar juízo.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Campanha eleitoral "Custo Zero"

Nos últimos dias tenho recebido alguns emails encorajando-me a assinar a seguinte petição online por uma campanha eleitoral sem recurso a dinheiros públicos, cujo texto argumentativo diz o seguinte:

"Portugal vive um tempo de enorme crise financeira, económica, social e política. Vão realizar-se eleições legislativas em 5 de Junho de 2011. A lei prevê a atribuição de financiamento público, no valor de 9 milhões de Euros, para as despesas de campanha dos partidos políticos.
Atendendo:
a) À terrível situação económica e financeira do País que exige que se use com total bom senso os escassos recursos disponíveis
b) Ao exemplo que os partidos e os políticos devem dar de austeridade e de poupança de dinheiros públicos
c) À existência de recursos gratuitos (tempos de antena na rádio e na televisão, cobertura noticiosa, comunicação internet,..) que pode ser utilizados para fazer chegar aos eleitores a sua mensagem política.

Pede-se aos partidos políticos concorrentes às eleições legislativas de 2011 que abdiquem voluntariamente da utilização de qualquer financiamento público para os custos da campanha eleitoral, aderindo assim à campanha “Custo Zero”. "

Não consigo deixar de pensar no quão insignificante é este valor comparado aos 80 mil milhões que serão, ao que tudo indica, injectados nas finanças públicas pela troika composta pelo BCE, CE e FMI e que tantos sacrifícios custarão aos portugueses. No entanto o motivo que me leva a escrever este comentário prende-se com outra questão, a do financiamento privado dos partidos. O autor da supra-citada petição desconhecerá certamente o mecanismo de financiamento dos partidos e só assim se explica que se tenha focado na questão menos problemática das leis de financiamento dos partidos e eleitoral. A grande tragédia da nossa democracia passa em grande parte pela forma como a lei de financiamento é constantemente violada por TODOS os partidos, que se financiam acima do limite legal através de donativos privados de militantes, festas do avante, mas sobretudo empresas de construção, banca e finança, recebendo por tal uma penalização pecuniária reduzida e abrindo desta forma a porta à corrupção generalizada, às PPPs ruinosas, às privatizações de empresas lucrativas do estado, aos baixos impostos para a banca, ao Plano Nacional de Barragens, à demanda do alcatrão no lugar da ferrovia e do transporte marítimo, às clausulas ruinosas nos contratos de adjudicação, aos acertos directos, aos concursos públicos fraudulentos, etc., etc., etc. É preciso que as pessoas não se escudem na ignorância da análise rápida, no populismo das frases feitas do "são todos iguais" nem na demagogia da participação independente na política. A democracia é feita de partidos e eleitores, se os partidos do poder não servem, votem noutros, se nenhum vos servir, participem vocês nos partidos e elejam internamente líderes honestos e capazes, se não concordarem com as doutrinas, fundem movimentos partidários alternativos. Em democracia não há desculpas, ninguém vos impinge nada, quem vota é quem impinge. Metam as palhaçadas das gerações à rasca no cu e dêem-se ao trabalho de pelo menos ir votar naqueles que não vos enrabaram!

sábado, 9 de abril de 2011

sou OMOfóbico, que é como quem diz, não suporto branqueamentos

Então agora somos todos culpados?

Já percebi que o som monocórdico dos comentadores do costume (ou da situação?) afina agora pelo diapasão de que na situação em que estamos não há discutir culpas e que, um pouco mais ou menos, todos somos culpados pela situação a que o país chegou.

Aqui, é preciso dizer: alto e pára o baile.

Que esses comentadores entre si se considerem culpados por ter embarcado todos estes anos no elogio acrítico das políticas que conduziram a esta situação, até aceito. Mas não é essa a ideia.

A ideia é considerar que a situação de crise a que o país chegou não resulta de opções e políticas concretas e deliberadas dos Governos PS, PSD e CDS, apoiadas pelos detentores do poder económico e pelo coro dos comentadores do costume, mas terá resultado de algum fenómeno natural imprevisível e inexplicável.

E sendo assim, não há que discutir culpas e todos nós portugueses, pelo simples facto de que aqui nascemos e aqui temos vivido, somos culpados das malfeitorias do PS, do PSD e do CDS e temos de arcar estoicamente e sem queixumes com as suas consequências.

Sucedem-se portanto os apelos à mais ampla unidade nacional e a um apoio incondicional ao Governo que há-de vir que, sabe-se de ciência certa, terá de continuar na senda dos anteriores.

Aqui, repito, alto e pára o baile.

Então aqueles que (...) têm contestado estas políticas e estas opções, e têm alertado sistematicamente para as suas consequências, também são culpados pelas consequências das políticas que sempre combateram?

Então aqueles que (...) foram insultados de tudo por se oporem ao rumo insensato desta, sublinho desta, integração europeia, também são culpados pela situação a que esse rumo nos conduziu?

Então aqueles que (...) foram chamados de anti-europeus e de coisas bem piores por alertarem para as consequências previsíveis da entrada no Euro de uma economia debilitada como a nossa, também são culpados pelos resultados a que essa entrada conduziu?

Então aqueles que (...) têm sido silenciados, tratados com desdém e até hostilizados por se oporem coerentemente a estas políticas que os comentadores do costume sempre incensaram, também são culpados pelas suas consequências.

É verdade que há culpados. Os governantes do PS, do PSD e do CDS são seguramente culpados, na exacta medida das suas responsabilidades governativas. Os comentadores de fazem profissão de apoiar acriticamente as políticas que têm desgovernado o país, também têm a sua quota de responsabilidade. E os eleitores que, ainda que enganados por cantos de sereia e embalados pela banda canora dos comentadores do costume, têm contribuído para manter PS, PSD e CDS invariavelmente no poder, também têm, objectivamente, a sua parte de responsabilidade. Mas quem sempre se opôs a essas políticas, também é responsável pelas consequências das políticas que sempre combateu?

O que agora se pretende com a teoria de que todos somos culpados é mais uma vez silenciar o facto de que esta política teve e tem opositores e tudo fazer para que, agora que em 5 de Junho se aproxima mais um momento da verdade, mais uma vez a culpa morra solteira.

O que me diverte mais é imaginar as caras daqueles de vós que só vão discordar deste texto quando perceberem confirmarem o que (...) está a substituir nesta citação.

à atenção dos que ainda não o conhecem

Os portugueses conhecem-no por Pedro Correia

Prometeu pôr o País a crescer 3% ao ano e deixa o País em recessão. Prometeu criar 150 mil postos de trabalho e deixa o País com o maior índice de desempregados de que há registo. Prometeu baixar os impostos e deixa o País com a maior carga fiscal de sempre. Prometeu estancar o défice das contas públicas, que era de 5,9% em 2005, e deixa o País com um défice de 8,6%. Prometeu o comboio de alta velocidade e deixa o País com menos quilómetros de linha férrea. Prometeu aumentar o poder de compra dos portugueses e acaba o mandato a cortar salários, deixando o País mais pobre.

No sétimo ano de governação, já com o fim do seu mandato como primeiro-ministro à vista, o secretário-geral do PS falou esta noite no congresso do partido mostrando-se incapaz de reconhecer um erro, incapaz de pedir desculpa aos eleitores e aos militantes socialistas pelas promessas que não cumpriu, incapaz de mostrar abertura ao diálogo com outras forças políticas que lhe permitam estabelecer acordos de governo.

Igual a si próprio, afinal. Hoje só ilude aqueles que o não conhecem, aqueles que confundem retórica de palanque com acção política. O problema dele é este mesmo: os portugueses conhecem-no.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

privatizar é o caminho, dizem-nos

Privados são os mais visados nas 8188 queixas de utentes

Os serviços privados são os mais visados nas 8188 reclamações dos utentes de cuidados de saúde que chegaram à entidade reguladora do sector em 2010, segundo dados a que a Agência Lusa teve acesso.

No ano passado, a maioria das queixas dos utentes que se manifestaram junto da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) era relacionada com entidades privadas: 4018 com internamento e 3.554 sem internamento. As restantes reclamações distribuíram-se pelo público com internamento (115), público sem internamento (66), social com internamento (255) e social sem internamento (180).

Os utentes queixaram-se mais da qualidade da assistência administrativa (2.040 reclamações), dos tempos de espera superiores a uma hora (1.800), da qualidade da assistência de cuidados de saúde (1229), de questões financeiras (770), assistência humana (532), entre outros. Do total das queixas apresentadas, 46 relacionavam-se com discriminação.

Em 2009, chegaram à ERS 7.848 queixas de utentes que, nesse período, reclamaram essencialmente dos tempos de espera, da qualidade de assistência administrativa e dos cuidados de saúde.

segunda-feira, 28 de março de 2011

o que fukushima mudou no debate sobre o nuclear

valerá a pena avisá-los?

Será o Governo melhor que o Pai Natal?

“Quem quer um computador?”, ironiza o Gazeta Wyborcza. Na primeira página, o diário polaco transmite um plano do Governo em fornecer computadores a todos os alunos do 1º. ano das escolas primárias (estima-se que entrarão 350 mil para a escola em setembro). O projeto que tem como objetivo “equilibrar as oportunidades educacionais para crianças em pequenas cidades e aldeias e prevenir a exclusão digital” poderá custar tanto como mil milhões de zlotys (aproximadamente 250 milhões de euros). O plano anterior, anunciado em 2008 pelo primeiro-ministro Donald Tusk, prometia a “revolução computacional” e um computador para cada aluno do ensino secundário, mas logo após ter sido lançado, o projeto foi cancelado pela crise económica mundial. O diário questiona se a nova iniciativa terá o mesmo destino, e observa que, neste momento, uma quantidade significativa de fundos provirá de fornecedores de telemóveis que terão de pagar ao estado cerca de 900 milhões de euros por taxas das licenças 3G até 2020. No entanto, a estimativa do ministro das Infraestruturas polaco indica que cerca de 90% das famílias com crianças na escola têm pelo menos um computador em casa. “Talvez por isso, o principal problema não seja a falta de computadores, mas sim a falta de acesso à Internet”, conclui o diário de Varsóvia.

Outra: será que o Chavez chegou a pagar os Magalhães?

sexta-feira, 25 de março de 2011

Nehmen Sie Reiseschecks?

'Calculated Arrogance' Over Austerity Plan Dooms Socrates

Portuguese Prime Minister Jose Socrates stepped down after opposition parties failed to pass his latest austerity package, leading the country further into financial crisis and closer to requesting a bailout from the EU. German commentators on Friday argue Socrates shares blame for the failure.

As if Europe needed any more financial upheaval -- the resignation of Portugal's prime minister has hastened the likelihood of the country needing a bailout from the European Union. Jose Socrates quit after his latest austerity package was slapped down by opposition parties on Wednesday.

Socrates, who belongs to the center-right Socialist Party, had staked his political future on the new budget passing through parliament. But, as head of a minority government, he was relying on others to get it through -- and when they refused, Socrates went to President Anibal Cavaco Silva to hand in his resignation.

The crisis has made it all the more likely that Portugal will be forced to go cap in hand to the EU for a bailout, following in the footsteps of Greece and Ireland, which accepted help from Brussels last year, while at the same time increasing concerns over the stability of neighboring Spain.

Portugal Still Needs to Borrow More

Although Portugal's debt problems are not as severe as those of Greece or Ireland, it has suffered from poor growth, increasing its exposure to the debt crisis in the euro zone.

The austerity package included cuts to health care, social welfare spending and infrastructure investments amounting to 0.8 percent of gross domestic product. Annual increases in pension payments would also have been frozen until 2013. But the opposition parties considered the measures too drastic, and some politicians criticized Socrates for having gone directly to the EU for approval rather than seeking agreement over the measures at home first.

New elections are not possible until at least the end of May -- under the Portuguese constitution, there must be 55 days between the announcement of new elections and the actual vote -- but the country still needs to borrow more money to refinance its sovereign debt, €4.2 billion of which is due in April alone, and the cost of that could be unbearably expensive. That, in turn, would necessitate a loan from the EU.

But who is to blame for the fiasco? German commentators on Friday are highly critical of Socrates, whilst also recognizing that the crisis will have a big effect elsewhere in Europe.

(carregados meus)

Aconselho vivamente a leitura dos editoriais alemães incluídos nesta peça. A vitimização não leva aquele indivíduo muito longe. Excepto cá, onde a memória só não é curta para os casos da arbitragem das décadas de 70 e 80. Não excluo a possibilidade de o mitómano acabar empatado com o outro Ken de Massamá.

barking at the wrong tree

Irmão de Luisão pediu-lhe conselhos para travar Liedson

É como pedir ao Teixeira dos Santos para travar a escalada do défice!

quarta-feira, 23 de março de 2011

aos socratistas aziados, aconselho a leitura


The cult of the individual - part 1

This speech was delivered to the 20th congress of the Communist party of the USSR in Moscow on February 25 1956.

Sim, aquela personalidade foi denunciada, três anos após o óbito. Não desejando a morte física ao demissionário, aconselho-vos a assegurar-lhe a morte política. Não recuperareis a inocência, mas podeis voltar a pensar pelas vossas próprias cabeças (se alguma coisa restar).

duma enorme clareza

“Podem provocar a queda do Governo, mas não vão derrubar o PS”

Precisamente, a prioridade do governo nunca foi o País, mas o PS.


breve comentário

Parece que decorre uma sessão no Parlamento. Sigo via Público, e ressalvando a discricionariedade editorial, saliento isto:

16h50 Teixeira dos Santos diz que “havia pouca carne” do lado do BPN.

16h49 Teixeira dos Santos para Bernardino Soares: “São precisos os ovos todos e eu não quero matar as galinhas.”

16h46 Teixeira dos Santos para Bernardino Soares: “O senhor achou que isto [o debate] era tão importante que até usou uma linda gravata.”

16h40 Bernardino Soares: “Este PEC não é um Plano de Estabilidade e Crescimento, é um programa de recessão e de instabilidade para a vida das pessoas.”. E acrescenta que o corte das indemnizações aos trabalhadores é “um esbulho”.

16h35 Fala Bernardino Soares (PCP): “O Governo tratou mal a Assembleia da República na apresentação do PEC.”

Acrescente-se este detalhe:

15h35 Teixeira dos Santos diz que o país precisa de um amplo entendimento político e critica o PSD de ter ânsia de chegar ao poder de que está afastado há seis anos, terminando assim a primeira intervenção. José Sócrates deixa a sala sem explicações.

Até agora, a única pessoa que me explicou as razões por que não vota foi um anarca. Um anarca que defende que a democracia é um sistema com falhas insuperáveis. A prova última que sustenta esta afirmação, a meu ver, é o metaengenheiro. O desrespeito pela única instituição representativa do povo português (com letra pequenina) é de tal modo grave que a democracia ficou reduzida a um concurso de celebridades com dois concorrentes apenas.

A geração à rasca também é responsável por este estado de coisas, assim como todas as outras gerações. Safam-se os menores de 18 anos à data das últimas legislativas. Existe neste país liberdade de associação, democracia participativa e toda uma série de conceitos que invalidam qualquer argumento abstencionista de qualquer autoproclamado democrata.

Todos aqueles que se resignam a viver nesta bosta merecem viver nela.

Voltarei ao assunto quando as circunstâncias o justificarem.

quinta-feira, 17 de março de 2011

indicadores viciados

Apesar do que o título possa sugerir, esta posta não trata de toxicodependência digital. E apesar do que o tema de que a posta não trata possa sugerir, digital refere-se a dedo.


(falso alarme)

Mas voltando ao início: existe uma tendência terrível, por parte dos governantes, em tomar decisões sem levar em consideração toda a informação disponível que possa orientar e balizar essas mesmas decisões. Se não é líquido, como afirma Cavaco, que duas pessoas com a mesma informação chegam necessariamente à mesma conclusão, já será seguro assumir que uma só pessoa com acesso a informação errada chega a uma conclusão errada, na esmagadora maioria dos casos.


Cavaco recebido em apoteose por cidadãos "de etnia africana" após a gloriosa reconquista de Angola, esforço militar coroado de êxito graças ao "desprendimento" da geração "à rasca"; geração essa que, sendo a mais qualificada de sempre, descobriu como dar uso a dois submarinos e dois blindados da PSP

Isto tudo a respeito do golfe. E ao contrário do que se possa crer na RTP, esta posta não trata do automóvel da Volkswagen. Sim, essa bronca configura um caso de "epic fail" e estamos todos muito contentes que tenha ocorrido. Aliás, parece que já há ecos nas redes sociais.

Dizia eu, esta posta aborda a temática do golfe. E, não sendo o golfe um desporto (fodei-vos, não é!), esta posta aflora um mundo vagamente relacionado com desporto.

O que levaria os governantes, numa situação tão precária como a actual, a baixar o IVA ao golfe? Decerto teriam algum indicador de maior procura por esta modalidade - repito, não desportiva - e, como o golfe é uma coisa que gera dinheiro, incentiva-se a prática para obter maior receita fiscal em volume, e não em taxa.

Onde poderá estar esse indicador viciado que terá levado os governantes a fazer esta interpretação? Sim, necessariamente esta, porque os governantes, autoproclamados socialistas, NUNCA teriam a indelicadeza de baixar o imposto dum passatempo de ricos numa fase de empobrecimento geral!

tive que mudar de PC após escrever aquela última frase, parece que não há aceleração gráfica que permita aguentar este tipo de afirmações

Pois bem, após alguma reflexão, este vosso humilde servo descortinou a verdadeira razão pela qual os governantes foram induzidos em erro, crendo numa procura atípica por uma actividade rentável. E aqui afloramos o desporto:

já perceberam que estou a falar de bolas de golfe, certo?

Concluo propondo que os governantes considerem a aplicação de taxas pesadas à utilização de anões argentinos em jogos da Liga, que o povo lampião paga-as de bom grado e o deficit passa a superavit enquanto o diabo (de Gaia) esfrega o olho.

terça-feira, 15 de março de 2011

cavaco apela à fuga a salto

Cavaco escusa fazer qualquer comentário sobre situação política

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, escusou-se hoje a fazer qualquer declaração sobre a actual situação política, não respondendo às perguntas dos jornalistas sobre a possibilidade de uma crise política.

(...) “Importa que os jovens deste tempo se empenhem em missões e causas essenciais ao futuro do país com a mesma coragem, o mesmo desprendimento e a mesma determinação com que os jovens de há 50 anos assumiram a sua participação na guerra do Ultramar”, afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva.

Este ano, o Dia da Raça tem direito a preliminares.
Quando este gajo é o salvador da pátria, está tudo na merda.

curiosa interpretação

Camionista detido em Leiria libertado e obrigado a doação a instituição de solidariedade

O camionista detido ontem, no Barracão, na zona de Leiria, na sequência de confrontos com a GNR, foi hoje libertado e vai ter que doar 250 euros a uma instituição de solidariedade, anunciou a sua advogada.

(...) A advogada esclareceu que o camionista, de 35 anos, “continua sujeito a termo de identidade e residência e durante seis meses não pode praticar nenhum crime doloso”, findo o prazo o processo é arquivado.

E depois dos 6 meses, 'tá-se bem?

questão nuclear

Onde anda o Patrick Monteiro de Barros?

segunda-feira, 14 de março de 2011

a AGA do PAO

está a decorrer sem a presença deste vosso criado.

Para já, claro. Daqui a bocado dou lá um salto para ver como param as modas.

a propósito do simpático ajuntamento...

... gostaria de referenciar estas palavras do Pedro Penilo. Subscrevo integralmente, aliás, "gostava de ter escrito isto", parafraseando um deputado ao Parlamento Europeu.

(...) As citações acima são excertos do manifesto que fundou o protesto da Geração à Rasca. Diz: “Nós, que até agora compactuámos…”. E prossegue: “…todos os responsáveis pela nossa actual situação de incerteza – políticos, empregadores e nós mesmos…”. E endereça convites a todos os partidos, a toda a sociedade. A todos. Aos explorados e aos exploradores. Aos responsáveis pela política de espoliação dos trabalhadores de todas as gerações e aos que sempre contra ela lutaram. Não era uma manifestação de arrependidos (eleitores que tivessem votado no PS, no PSD ou no CDS). Não. Era um protesto dos que compactuaram, dos que são responsáveis: todos nós.

Ora, eu não compactuei. Não sou co-responsável pela situação. Eu e muitos milhares de amigos companheiros e camaradas que lutamos todos os dias para mudar a situação. Não se ouve falar disto, porque a comunicação social não trata com o mesma atenção esta outra face da luta quotidiana. Não revela milhares de outros rostos, tão espontâneos como dignos de interesse. Com intenção, ou por erro que não se quis corrigir nunca, este movimento não nos quis incluir. (...)

Até me agradou ver umas caras conhecidas nas reportagens histéricas com que as estações televisivas nos brindaram, mas aproveito para esclarecer o seguinte: eu não acredito que esta "geração" tenha acordado. Acho que esta "geração" fala durante o sono.

Que o povo quer dinheiro para comprar um carro novo não é novidade para ninguém. Agora quero ver este povo "à rasca" a ser consequente, até porque a ideia de cada um trazer uma proposta numa folha A4 equivale a um mural do facebook impresso. Protestam contra a precariedade? Bonito. E quantas vezes mudaram de canal quando certos partidos e certos políticos (tão dispensáveis, na opinião da massa anónima) denunciavam essa mesma precariedade? E quantas vezes votaram e revotaram naqueles que fomentaram essa precariedade? E quantas vezes se demitiram desse dever com o preguiçoso pretexto "são todos iguais"?

Não quero com isto acusar todos os manifestantes e apoiantes do movimento de serem uns panhonhas, mas creio que só uma diminuta percentagem dos reais panhonhas venha a abrir os olhos e tomar uma atitude. É pena, mas é assim. Na nossa História, o povo nunca começou nada enquanto tal. Foi sempre preciso um pequeno grupo na vanguarda (do 1º de Dezembro ao 25 de Abril). A "geração à rasca" não é vanguarda de coisa nenhuma.

segunda-feira, 7 de março de 2011

como se diz "mãozinhas" em suíço?

Camarada, se consegues ler isto, ficas a saber que a malta ainda não se esqueceu de ti! Aliás, pessoalmente lembrei-me logo assim que li isto:

Scientists Baffled By Man's Incredible Ability To Fuck Up Every Time

BALTIMORE—Neurologists at Johns Hopkins University confirmed Monday they remain completely baffled by Rockville, MD resident Erik Collins, a man who possesses an extraordinary and previously undocumented ability to fuck everything up.

According to Dr. William Moore, head of a research team studying exactly how Collins manages to drop the goddamn ball every single time, the 32-year-old sales associate represents a major conundrum for modern science.

(...) "Our theory is that Erik approaches fucking up unconsciously, his mind automatically creating a fractal model of screwing the pooch that is not unlike the infinite images contained within facing mirrors," Moore said. "If Erik has to make a withdrawal at an ATM, for example, he begins with a simple fuckup, such as accidentally selecting the Chinese language option. Then, instead of starting from the beginning the way an average individual would, he instinctively plows forward, creating concentric rings of fucking-it-up within his original mistake until eventually the machine has confiscated his debit card and his account has been frozen—and that's just the beginning of a weeks-long mega-fuckup that continues once he attempts to call his bank."

(...) Where this one man's massive clusterfucks originate is still a mystery, but scientists have hypothesized that each individual fuckup may compound itself exponentially, expanding in every conceivable direction until a given situation is no longer salvageable. Moore said this phenomenon is most evident when Collins interacts with women, his intricate and novel behavioral patterns simultaneously evoking rage, confusion, revulsion, and indignation.

"Have you ever seen anything like it?" a visibly bemused Moore said while showing reporters a video in which Collins, attempting to impress a woman in a bar, chokes on his drink, spits up in her face, and then pokes her in the eye while trying to dry her off with her own scarf. "Unbelievable."

Amigo que tens sentimentos, tudo de bom e vai dando notícias!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

ia meter aqui o gif animado mas mudei de ideias a meio


Microsoft Office com novos corretores ortográficos

Os utilizadores das versões 2007 e 2010 dos populares pacotes de aplicações de produtividade já podem rever os seus textos à luz do novo Acordo Ortográfico.

PS: "de produtividade" indeed...

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

dúvida repentina

O pessoal que anda a minimizar o statutory rape do Berlusconi é o mesmo que andava a defender a Família enquanto unidade nuclear da sociedade na altura da discussão da abertura do casamento civil a pessoas do mesmo sexo?

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

a polivalência da internet

Assistimos a fugas de informação estratégica duma superpotência e uma consequente caça ás bruxas seguida de actos de vingança contra empresas via internet.

Assistimos a revoluções em países árabes postas em marcha graças a movimentos que se organizam na internet.

As notícias de catástrofes chegam-nos primeiro através da internet.

Essa tal de internet acabou por se tornar na mais digna construção humana, única no impacto que teve, tem e terá na evolução da espécie. Ou então não:

Fãs de Justin Bieber atacam página de rival na Wikipedia

Alguns fãs de Justin Bieber vingaram-se da derrota do canadiano nos Grammys, Fãs de Justin Bieber atacam página de rival na Wikipediaonde o cantor viu a norte-americana Esperanza Spalding vencer na categoria de Melhor Novo Artista, espalhando insultos na página da vocalista e instrumentista de jazz na Wikipedia.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

o dia até me estava a correr bem, agora escuteiros?!


Acho que tenho um escuteiro escondido na mochila. Vai ser difícil de o encontrar, mas só isso explica os nós absolutamente diabólicos nos headphones de cada vez que atiro o leitor de mp3 lá para dentro.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

deolindices

Esta recente celeuma acerca da canção dos Deolinda mostra bem o ridículo em que esta geração caiu para encarar o tema como um hino revolucionário. Aliás, chamar-lhe hino já é sintomático da pobreza intelectual vigente, e chamar-lhe revolucionário é uma piada de muito mau gosto, sendo também revelador da total incapacidade da parva geração em libertar-se das amarras que a mantêm presa ao fundo deste poço de merda.

Inspirado após a leitura desta excelente posta do Luís Naves, também aproveito para denunciar esta ideia imbecil dum conflito de gerações. Por muita vontade que eu tenha de mandar foder as gerações que andaram a eleger o Cavaco consecutivamente, o que muito me condicionou e condicionará a vida e me dá pouca vontade de andar a sustentar as reformas delas, a verdade é que o problema não é uma geração ocupar o lugar que devia ser da seguinte. Bardamerda. Se fosse esse o problema, a malta nova andava toda a ajudar o avô a sachar a horta!

O que a malta continua a querer não perceber é que quem hipoteca o futuro ao jovem licenciado não é o funcionário público, que por sinal vem sendo saco de pancada vai para mais de dez anos. Quem nos vem fodendo a vida são os Varas e os Mexias e toda a sorte de filhos duma grande puta que sugam esta terra até ao tutano e depois a salgam para que nada mais volte a crescer. Aliás, porque raio é que o Ferreira do Amaral ainda anda à solta?

Mas, sinceramente, quando o jovem licenciado não vota "porque são todos iguais", ou vai votar no Passos Coelho porque descobriu a muito custo que o Sócrates mentiu, e vice-versa, então que caralho de futuro merece o jovem licenciado? Eu quero que o jovem licenciado se foda se é incapaz de perceber a raíz do seu problema.

E acima de tudo, quero que o jovem licenciado se foda porque não só não é capaz de salvaguardar a sua posição, como mesmo que conseguisse nunca seria Homem para defender quem não tem meios para tal. Quem vai viver menos 10 anos que ele, por exemplo.

Como dizia o outro, eu é que não sou parvo. Se querem levar esta merda ao fundo, divirtam-se. Eu abandono. Chamem-me quando for tarde demais, talvez os ratos tenham abandonado o navio e se possa começar de novo.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

quando algo se torna obsoleto


Não, este não é mais elogio ao Zapater.

Aqui há tempos o João falou aqui dum modelo de negócio obsoleto, e da forma como essa indústria tenta travar aquilo que é uma evolução natural dum mundo em rede.

Também temos assistido a imenso ruído acerca dos colégios privados, sendo esse também outro negócio que já fez mais sentido no passado.

Mas vamos a coisas mais interessantes:

Hidden Fractals Suggest Answer to Ancient Math Problem

(...) Since the 18th century, generations of mathematicians have tried to find a way of predicting large partition numbers. Srinivasa Ramanujan, a self-taught prodigy from a remote Indian village, found a way to approximate partition numbers in 1919. Yet before he could expand on the work, and convert it to a clean equation, he died in 1920 at the age of 32. Mathematicians ever since have puzzled over Ramanujan’s manuscripts, which tie the primes 5, 7 and 11 to partition numbers.

(...) The combined research doesn’t quite reveal a mathematical representation of the universe’s structure, Ono said, but it does kill partition numbers as a way to encrypt computer data.

“Nobody’s ever going to do that now, since we now know partition numbers aren’t random,” Ono said. “They’re completely predictable and we should no longer pretend they’re mysterious.”

Quem trabalha em encriptação acaba de perder uma ferramenta importante, porque simplesmente o mundo evoluiu. Deu-se um passo em frente no conhecimento, que começa por parecer meramente académico mas brevemente, e sem que ninguém dê conta, vai ter um impacto nas nossas vidas.

Obviamente, há várias formas de encriptar dados, a indústria informática não vai colapsar por causa disto e decerto as empresas envolvidas vão contornar a questão, arranjar novas soluções e gerar mais conhecimento. A necessidade aguça o engenho e o mundo continua a evoluir.

Resta saber quando é que as ACAPORs e os gigantes discográficos deste mundo vão perceber que a "pirataria" não tem travão - e que quem vendia bootlegs na feira também já não faz dinheiro com isso.

Resta saber quando é que os donos dos colégios vão perceber que não podem exigir subsídios com um liceu ao lado - e tanta falta fazem creches neste momento...

E acima de tudo, resta saber quando é que o Sporting deixa de ir buscar gajos como o Maniche para encostar gajos como o Zapater - e os cofres do clube ficavam mais aliviados.

sugestão para cocktail


Bloody mary sem tomate

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

depressões para todos os gostos

A indignação duma jornalista do Público perante os jornais donde o Público copia as notícias por aqueles não confirmarem as suas notícias.

Novamente, a comunicação social é um contra-poder. Temos um contrapoder de merda, logo temos um poder de merda.

com dedicatória

... a todos os que alinharam na culpabilização dos funcionários públicos e acharam bem merecidos os cortes em salários congelados há uma década (salvo aquele fugaz aumento pré-eleitoral):

Governo corta indemnizações de 30 para 20 dias

Salários podem cair por causa das novas regras das indemnizações

Esta é dedicada a quem reelegeu o Sócrates, que faz estas merdas, e o Cavaco, que lhe dá cobertura.

Esta é dedicada a todos os acéfalos que embarcam na conversa de que a culpa é sempre de quem trabalha, e não de quem dirige as empresas - a esses não faltará nunca um puto carrão e um salário 40 vezes superior ao dos empregados.

Esta é dedicada a esses acéfalos que cavam a sua própria sepultura alegremente, até se acabar a mama porca: vão ficar sem reforma. Pelas suas opções e em dobro, porque os descontos que fizeram deixarão de contar, e porque malta como eu vai trabalhar para fora e não vai ficar aqui a sustentar quem nos arruinou a vida.

A solidariedade é muito bonita mas certas coisas são imperdoáveis. Se a minha geração tiver um mínimo de auto-respeito, salta do barco e deixa-o afundar. Eu, pelo menos, estou farto de ser prejudicado por um bando de imbecis que vota com os pés, tem a memória dum peixe-dourado e a espinha duma lesma.

Fodei-vos! E o Cavaco não é o meu presidente.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

AGA final

Cientista estima que 24 de Janeiro é o dia mais deprimente do ano

Só para informar que, em claro desrespeito pelos pedidos de várias famílias, não estou presente na AGA para a habitual cobertura em directo.

Porquê?

Porque tenho uma vida e o Zapater foi uma das melhores contratações esta temporada.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

leitura para o dia de reflexão

Lição tunisina, por Gian Paolo Accardo

(...) [O]s jovens são, hoje, minoritários – apenas um europeu em cada cinco tem menos de 20 anos – e estão longe da massa crítica necessária para conseguirem fazer pender para o seu lado a escolha política.

Os líderes europeus parecem estar muito conscientes da situação, e a sua atitude perante os jovens que se manifesta, entre outras coisas, pelos cortes sistemáticos nos orçamentos da educação e da investigação, testemunha a importância que lhes atribuem. Mas se há uma lição, entre tantas outras, que podemos tirar da “Revolução do Jasmim”, é que à força de tanto se oprimir a juventude, um dia, mais cedo ou mais tarde, ela rebenta-nos na cara.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

AAUAv precisa de amigos


A publicação de convocatórias para actos oficiais duma instituição - entre assembleias e debates eleitorais - através do facebook tem muito que se lhe diga. Sobretudo quando a divulgação que mais faz sentido, via correio electrónico e afixação em papel no campus, surge mais tarde ou não surge de todo. O uso das redes sociais deve ser, no máximo, complementar. Efectivamente, durante um intervalo de tempo considerável, a convocatória destina-se exclusivamente aos 4900 (descontando organizações) utilizadores "amigos" da AAUAv.

Prestes a terminar o mandato, a Mesa da Assembleia-Geral volta a dar um ar da sua graça, para nos lembrar dessa desgraça.

Isto tem um nome: analfabetismo político.

A propósito, eu estou a par da dificuldade inerente a este género de divulgação pelos meios tradicionais, mas quem ocupa estes lugares deve estar preparado para lidar com isso.

e por falar em tunísia


Lendo relatos como estes, com barricadas de populares nas ruas, polícia política a atacar a população, exército aliado à população, ditador corrido do país... lembra-me algo... algo que foi deixado a meio...

Que 2011 seja o ano da gente consequente, a começar para os bravos cartagenos.

um presidencial erro de casting


Presidente felicitou homólogo tunisino Ben Ali pela sua reeleição

O Presidente da República enviou uma mensagem de felicitações ao Presidente da República da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, pela sua reeleição para o cargo.

É o seguinte o teor da mensagem de felicitações do Presidente Aníbal Cavaco Silva:

"Senhor Presidente

Tendo tomado conhecimento da expressiva reeleição de Vossa Excelência como Presidente da República da Tunísia, quero endereçar-lhe, em nome do Povo português e no meu próprio, sinceras felicitações e votos de sucesso.

Estou seguro de que, no exercício do novo mandato de Vossa Excelência, encontraremos renovadas oportunidades para aprofundar os laços de amizade e de cooperação que unem os nossos dois países, em benefício dos nossos Povos.

Reiterando-lhe as minhas sinceras felicitações, peço-lhe que aceite, Senhor Presidente, os protestos da minha mais elevada consideração e estima pessoal.

Aníbal Cavaco Silva"

disponível na página da Presidência da República

Numa altura em que o mundo tem os olhos postos na Tunísia, serve este lembrete para percebermos a visão de Cavaco. Acéfala e acrítica, como de resto nos tem habituado. Muitos silêncios e ponderações, nenhuma tomada de posição. Nem quando ouviu desaforo dum homólogo ao seu lado, à distância duma chapada.

A todos aqueles que não acreditam que o seu voto faça diferença, deixo o meu apelo: se não for por mais razão nenhuma, façam-me o favor e votem noutro gajo qualquer! Não fiz nada para merecer mais 5 anos disto.

domingo, 16 de janeiro de 2011

nivelar por baixo

Cavaco: "injustiça" nos cortes salariais porque "milhares" do privado ficaram de fora

Cavaco Silva esclareceu hoje que admitiu que possa ter havido "alguma injustiça" nos cortes salariais na função pública porque "largos milhares de portugueses" do setor privado ficaram de fora dessa tributação.

Para quem ainda não percebeu, Cavaco vive num mundo em que todos devem ser pobres e beneficiários de caridade de cariz religioso. Excepto os cromos da sua confiança, claro, e falar nisso aqui é chover no molhado...

sábado, 15 de janeiro de 2011

depressing little treasure

Renato tinha sido escolhido para mandatário de Cavaco em Cantanhede

A notícia começou por correr nas redes sociais e foi ontem confirmada ao Diário As Beiras por José Malta, cunhado de Renato Seabra. Renato foi escolhido para ser mandatário da juventude em Cantanhede durante a campanha presidencial de Cavaco Silva.
Aliás, de acordo com a edição de ontem do semanário Sol, Carlos Castro e Renato Seabra teriam viagem marcada para o dia 15 de Janeiro, para que o jovem modelo regressasse a tempo de cumprir as suas obrigações na campanha presidencial.
Contactado pelo Diário As Beiras, o mandatário distrital de Coimbra disse não ter conhecimento do caso. No entanto, Luís Viegas informou que essa decisão poderá ter partido – como geralmente acontece – da estrutura local. "Tal não inviabiliza que em Cantanhede escolhessem quem pudesse trabalhar a campanha do professor Cavaco Silva", disse Luís Viegas.
De acordo com o familiar, Renato chegou a participar no jantar de jovens apoiantes de Cavaco, que decorreu a 20 de Dezembro, no Museu da Electricidade.

Diabo do miúdo, foi destruir a sua vida ainda tão jovem. E além está acusado de homicídio. Ele há coisas...

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

macabras contas de merceeiro

Diz que as economias periféricas estão a ser pressionadas pela Alemanha. Os alemães chegaram a sugerir aos gregos que vendessem ilhas para pagar as dívidas. Pois bem, eis a vingança...

Greece joins Italy's war damages claim against Germany

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

curtas do mundo do silício

O Windows, desde há umas versões atrás, passou a incluir a função System Restore. Mas a sério, quem quer restaurar um sistema que acabou de dar o peido mestre?

Backup and format.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

ignorance is bliss

Equivalência por Vital Moreira

Os reitores das niversidades anunciaram que os antigos licenciados pré-Bolonha, com cursos de 4/5 anos, vão poder obter o grau de mestre de forma expedita.
Assim sendo, vão também os antigos mestres poder obter o grau de doutoramento de forma igualmente expedita? E os antigos doutores, vão poder adquirir que grau?!

Mais um que se dá com pessoas detentoras de elevado grau académico, mas desconhece todo o conceito de um plano de estudos. Ou a actual definição de mestrado, versão Bolonha. Ou lógica elementar.

Nota: apresento as minhas desculpas ao josé afonso por lhe conspurcar o ecrã com diatribes do avô cantigas.

mais um prego no caixão

Preços dos atestados médicos especiais e juntas médicas vão disparar

Os novos preços dos serviços das Autoridades de Saúde Pública foram publicados em Diário da República. Muitos serviços tinham um valor simbólico. Agora passam a custar dezenas ou centenas de euros.

Até agora as juntas médicas especiais ou atestados passados por uma Autoridade de Saúde Pública custavam menos de um euro. Mais precisamente, 90 cêntimos.

Os novos preços chegam aos 20 euros, caso dos atestados médicos, e aos 50 euros nas juntas médicas.

Estas juntas servem por exemplo para atestar uma incapacidade ou deficiência. Servem sobretudo para obter isenções ou beneficios fiscais, mas também para ter apoios no pagamento da renda ou outros beneficios como o dístico de estacionamento para deficientes.

Conhecendo o vício nativo de que o que não está legislado não existe, fica claro que agora é preciso pagar para ser deficiente.

crianças de aviário

Supressão do Desporto Escolar pode levar cada aluno a ganhar quatro quilos num ano

Esta chamada de atenção nem é tanto pela estimativa dos quatro quilos. Cada um faça as contas que quiser, mas eu não me esqueço que a ministra da Saúde já sugeriu à malta que aposte na sopinha com couve do quintal, que o carganhol vai escassear (ela não referiu a escassez de carganhol, mas a mensagem subjacente é óbvia - deslize freudiano?).

Esta chamada de atenção é para todos aqueles que praticaram desporto escolar (ou federado nas camadas jovens, como boa parte dos autores desta tasca) e que são hoje capazes de reflectir na importância que isto teve no seu desenvolvimento enquanto pessoas e na contribuição que isso deu aos seus valores, ao seu espírito de sacrifício e capacidade de entreajuda. O desporto escolar serve para muito mais que controlar a obesidade (gritar "menos bolachas!" também resulta) e encará-lo como tal já é redutor. Mas acabar com o desporto escolar sob a desculpa de contenção de custos é completamente inaceitável.

Este é o género de austeritarismo que nos vai afundar, bem fundo, e que devemos denunciar como um ataque perverso à essência duma sociedade como aquela em que crescemos e que fez de nós quem somos, apesar de todas as suas falhas. É um modo de vida que está em jogo.

E agora mudando completamente de tópico, há eleições presidenciais dia 23 de Janeiro.